quarta-feira, setembro 20, 2017

O Livro das Viagens de Comboio

O Livro das Viagens de Comboio é uma apresentação que lhe mostra as mais belas viagens de comboio do mundo.
Não perca esta oportunidade de viajar sem ter que sair de casa.
Viaje no Expresso do Oriente, no Transiberiano, no Transcantábrico, no Patagónia Express ou no Shangri-La Express, etc.
Verá que vale bem a pena.

terça-feira, setembro 19, 2017

Meu Moçambique

Neves de Sousa
Minha África suburbana.
Eu sei-me Moçambique,
cisterna no pecúlio dos deuses.
Um Zambeze inteiro escala a língua
escorre-me pelas pernas
ramifica nos canhoneiros,
laça os peixes inquietos nas sementes
engolfa-se nos mpipis bêbados nas timbilas.
Eu sei-me Moçambique,
no cume das árvores, na sede incontinente
da minha falange, do Rovuma ao Incomati,
no xigubo terrestre dos pés descalços
e em todos os tambores que surdem
das mãos coloridas nos braços em chaga.
Tânia Tomé

segunda-feira, setembro 18, 2017

O amor é mais falado do que vivido

 Zygmunt Bauman
Em português do Brasil, proponho-lhe que leia o texto abaixo: "O amor é mais falado do que vivido".

"O sociólogo polonês Zygmunt Bauman declara que vivemos em um tempo que escorre pelas mãos, um tempo líquido em que nada é para persistir. Não há nada tão intenso que consiga permanecer e se tornar verdadeiramente necessário. Tudo é transitório. Não há a observação pausada daquilo que experimentamos, é preciso fotografar, filmar, comentar, curtir, mostrar, comprar e comparar. O desejo habita a ansiedade e se perde no consumismo imediato. A sociedade está marcada pela ansiedade, reina uma inabilidade de experimentar profundamente o que nos chega, o que importa é poder descrever aos demais o que se está fazendo.

Em tempos de Facebook e Twitter não há desagrados, se não gosto de uma declaração ou um pensamento, deleto, desconecto, bloqueio. Perde-se a profundidade das relações; perde-se a conversa que possibilita a harmonia e também o destoar. Nas relações virtuais não existem discussões que terminem em abraços vivos, as discussões são mudas, distantes. As relações começam ou terminam sem contato algum. Analisamos o outro por suas fotos e frases de efeito. Não existe a troca vivida.

Ao mesmo tempo em que experimentamos um isolamento protetor, vivenciamos uma absoluta exposição. Não há o privado, tudo é desvendado: o que se come, o que se compra; o que nos atormenta e o que nos alegra.

O amor é mais falado do que vivido. Vivemos um tempo de secreta angústia. Filosoficamente a angústia é o sentimento do nada. O corpo se inquieta e a alma sufoca. Há uma vertigem permeando as relações, tudo se torna vacilante, tudo pode ser deletado: o amor e os amigos".

"Estamos todos numa solidão e numa multidão ao mesmo tempo". Zygmunt Bauman

domingo, setembro 17, 2017

Conceição

Oiça o cantor português, Rui Veloso, considerado o pai do rock português, em Conceição, do álbum Mingos e Samurais (1990).

Ela não entra no café sozinha
Tem um bloqueio um modo de ser
Ela tem um receio do que possam dizer
Que alguém lhe passou quando era menina
E como coisas boas nunca ninguém ensina
Ela cora por tudo e por nada

Conceição

Olhos nos olhos olhos no chão
Qualquer coisa a embaraça
Essa conceição
Não sei que lhe faça
E é uma pena que aquele corpo
É todo lume lenha de arder
Mesmo a pedir mão de mexer ...
O amor enviou-me, sou seu missionário
Vim mudar a tua sina
Arejar o teu coração
Guardado em naftalina

Conceição
Compositor:Carlos Tê / Rui Veloso

sábado, setembro 16, 2017

Lisboa no tempo dos romanos

Há muitos séculos atrás, Lisboa era conhecida por Olisipo e dominada pelos romanos.
Descubra como era esta fantástica cidade, graças a imagens 3D, para isso, basta clicar aqui ou ver o trailer "Fundeadouro Romano em Olisipo".

sexta-feira, setembro 15, 2017

Os transportes do futuro

Tecnologias inovadoras estão a moldar o futuro dos transportes e da mobilidade urbana.
Confira, em baixo,  como vão ser os transportes do futuro e o impacto que os mesmos vão ter nas cidades.

quinta-feira, setembro 14, 2017

Visitando a Coreia do Norte

A Coreia do Norte, oficialmente República Popular Democrática da Coreia, é um país do Leste Asiático que ocupa a metade norte da Península da Coreia.
A Zona Desmilitarizada da Coreia serve como uma área de divisão entre a Coreia do Sul e a Coreia do Norte. O Rio Amnok e o Rio Tumen formam a fronteira entre a Coreia do Norte e a República Popular da China, enquanto uma seção do Rio Tumen no extremo nordeste é fronteira com a Rússia.
A península foi governada pelo Império Coreano até ser anexada pelo Japão, após a Guerra Russo-Japonesa de 1905.
Com a derrota japonesa na Segunda Guerra Mundial, em 1945, a Coreia foi ocupada pelos E.U.A. e pela U.R.S.S., e dividida em dois países distintos. A Coreia do Norte recusou-se a participar da eleição supervisionada pelas Nações Unidas, feita em 1948, que levava à criação de dois governos coreanos separados para as duas zonas de ocupação. Quer a Coreia do Norte quer a do Sul reivindicavam soberania sobre a península inteira, o que levou-os à Guerra da Coreia em 1950.
Um armistício assinado em 1953 suspendeu o conflito, não tendo sido assinado nenhum tratado de paz; este armistício sobreviveu até 2013, quando o mesmo foi suspenso pela Coreia do Norte como parte da propaganda de guerra decorrente de seu 3º teste nuclear, que ocorreu naquele ano, deste modo, ambas as Coreias estão atualmente em guerra. Ambos os Estados foram aceites nas Nações Unidas em 1991.
Numa altura em que se fala muito deste país proponho-lhe que visite e conheça melhor a Coreia do Norte através da apresentação que se segue.
Um pequeno grupo de cidadãos franceses de Lyon conseguiu autorização para visitar a Coreia do Norte em abril de 2017. Ficaram principalmente em Pyongyang, a capital, que tem cerca de uns 3 milhões de habitantes.
Conheça então a realidade deste país asiático. Não perca esta oportunidade porque vale bem  a pena.